Após crise diplomática com Macron, Bolsonaro apaga comentário sobre primeira-dama da França



A algum tempo foi divulgado através do link do: HuffPost, da notícia “Após crise diplomática com Macron, Bolsonaro apaga comentário sobre primeira-dama da França”

De acordo com o divulgado através do portal HuffPost:

O presidente Jair Bolsonaro apagou um comentário feito em uma rede social sobre a primeira-dama francesa, Brigitte Macron, depois que o fato gerou uma crise diplomática com com o presidente da França, Emmanuel Macron. A informação foi divulgada pelo site Poder 360 e pela Folha de S. Paulo.

No último sábado (24), um seguidor fez um comentário em uma publicação do presidente utilizando imagem em que Michelle Bolsonaro e Brigitte Macron, são comparadas, que dizia: “Entende agora porque Macron persegue Bolsonaro?”

O seguidor postou a imagem nos comentários dizendo ”é inveja presidente do Macron, pode crê”. O ex-deputado respondeu, dizendo “não humilha cara. Kkkkkkk”, dando a entender que valida a sugestão de que a beleza de Michelle seria o motivo pelo qual o Macron o “perseguiria” durante o G7.

A postagem, feita no último sábado, estava no ar até esta terça-feira (27). Mas nesta quarta, porém, o comentário não estava mais disponível. Segundo o Poder 360, o Planalto não quis comentar o caso.

Bolsonaro/Comentário

O comentário repercutiu na imprensa francesa em reportagem do jornal Le Parisien, que criticou a fala do presidente e a classificou como machista.

Na campanha eleitoral, opositores de Macron também usaram a diferença de idade do presidente e de sua esposa, 24 anos mais velha. Na época, o francês respondeu que, se ele tivesse 20 anos a mais, “ninguém pensaria por um segundo que não poderíamos estar legitimamente juntos”.

Enquanto Brigitte é 24 anos mais velha que Macron, Michelle Bolsonaro é 27 anos mais jovem que o chefe do Planalto no Brasil.

O fato gerou crise diplomática com Macron que, na última segunda-feira (26), disse que o comentário foi “extraordinariamente desrespeitoso” e disse, ainda, que as mulheres brasileiras “têm, sem dúvida, vergonha” de seu presidente.

“O que eu posso dizer? É triste, é triste. Mas é triste, em primeiro lugar, para ele e para os brasileiros. Eu penso que as mulheres brasileiras têm, sem dúvida, vergonha de ler isso de seu presidente”, disse Macron, durante evento do G7.

French President Emmanuel Macron, his wife Brigitte Macron and German Chancellor Angela Merkel pose for a family photo during the G7 summit in Biarritz, France, August 25, 2019. Andrew Parsons/Pool via Reuters

“Creio que os brasileiros, que são um grande povo, têm também vergonha de ver esse comportamento ― eles esperam, quando se é presidente, que nos comportemos bem em relação aos outros”, completou o presidente Francês. “Como tenho uma grande amizade e respeito pelo povo brasileiro, espero que eles rapidamente tenham um presidente que se comporte à altura”.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Bolsonaro negou nesta terça-feira (27) ter ofendido a primeira-dama da França, Brigitte Macron.

O presidente se justificou dizendo que falou para o seguidor não “falar besteira” e destacou que não se mete em “questão pessoal”.

Indagado se pediria desculpas, o presidente disse que não a ofendeu e, irritado com a insistência dos repórteres, encerrou a entrevista, acrescentando que os jornalistas “não merecem a consideração”.

A reação das mulheres brasileiras

Wife of French President Brigitte Macron welcomes with G7 World leaders' spouses for a visit on traditional Basque culture in Espelette, near Biarritz, as part of the G7 summit, on August 25, 2019. (Photo by Thomas SAMSON / AFP)        (Photo credit should read THOMAS SAMSON/AFP/Getty Images)

Após repercussão do comentário de Bolsonaro, brasileiras manifestaram apoio à primeira-dama da França e criaram a hashtag #DesculpaBrigitte nas redes sociais. 

O movimento foi reforçado na última terça-feira (27), quando o jornal francês Le Parisien divulgou que as mensagens teriam chegado até Brigitte, que teria se emocionado com elas. De acordo com assessores da primeira-dama ouvidos pelo jornal, ela ficou sabendo da campanha depois de deixar evento do G7.

A hashtag #PardonBrigitte, em francês, também foi criada e difundida por brasileiros. A cantora e celebridade da internet Gretchen, e o escritor Paulo Coelho, outros internautas e celebridades se manifestaram dizendo que se sentem envergonhados pela fala do presidente, e que ele não os representa.

Além das manifestações em redes sociais, dois grupos de brasileiras que moram na França lançaram abaixo-assinados se solidarizando com Brigitte Macron.

O núcleo francês do “Grupo Mulheres do Brasil”, que tem cerca de 16 mil seguidores, publicou um manifesto que foi compartilhado nas mais de 40 páginas do movimento no Brasil e no mundo. O texto repudia a atitude do presidente brasileiro:

“Somos um coletivo de 40 mil mulheres brasileiras de todas as idades, raças, credos e classes sociais, de diferentes cidades do Brasil e do exterior”, pontua o texto do grupo, que se coloca à disposição do presidente para conversar sobre questões de gênero e violência contra a mulher.

“De forma suprapartidária e a favor do diálogo, nos colocamos à disposição do presidente Jair Bolsonaro para apresentar dados sobre desigualdade entre gêneros, violência contra a mulher e misoginia, e também para pontuar modelos de políticas públicas que contribuem para a redução das disparidades, do preconceito e das taxas recordes de feminicídio que o Brasil coleciona.”

Outro grupo, “Brasileiras de Paris”, que tem mais de 5 mil integrantes, publicou uma carta em francês endereçada à primeira-dama, em que exprimem “solidariedade e indignação”.

Vamos continuar seguindo as notícias e divulgado notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *