Bachelet, da ONU, se movimenta para libertar presos políticos na Venezuela, diz Guaidó



Hoje, a alguns momentos divulgado no portal: G1, do artigo “Bachelet, da ONU, se movimenta para libertar presos políticos na Venezuela, diz Guaidó”

De acordo com o informado pelo link G1:
A alta comissária Michelle Bachelet esteve reunida com o opositor Juan Guaidó em Caracas. Juan Guaidó e Michelle Bachelet se reuniram em Caracas, durante visita diplomática da alta comissária da ONU à Venezuela
Leo Alvarez / Assessoria de Juan Guaidó / AFP
Michelle Bachelet, a alta comissária da ONU para Direitos Humanos, se movimenta para liberar presos políticos na Venezuela, afirmou o líder da oposição no país, Juan Guaidó.
Os dois tiveram uma reunião diplomática nesta sexta (21) em Caracas.
“[Ela] manifestou a nós que insiste com a liberação dos presos políticos”, disse Guaidó a jornalistas. Ele se autointitula presidente da Venezuela, e é reconhecido como tal por ao menos 50 países.
Há cerca de 687 pessoas detidas por razões políticas no país, de acordo com a ONG Foro Pena.
Nicolás Maduro nega que haja prisões com motivos políticos.
Bachelet, que também se reunirá com Maduro, conversou com parentes desses presos, eles mesmos acusados de conspirar para derrubar o governo atual.
Ela recebeu familiares de pessoas que morreram durante manifestações contra o governo –são cerca de 200, desde 2014, de acordo com ONGs.
De acordo com Guaidó, Bachelet ficou comovida com os parentes dos prisioneiros.
Os dois também conversaram sobre a perseguição ao Parlamento, que tem membros presos, no exílio em outros países, refugiados em embaixadas e na clandestinidade.
O caso de Edgar Zambrano, vice-presidente da Câmara, é um dos mais recentes: foi detido sob a acusação de apoiar uma tentativa de derrubar Maduro, no dia 30 de abril. Outros 14 parlamentares enfrentam processo semelhante, mas em liberdade.
Para Guaidó, a visita de Bachelet evidencia a importância da crise e é um reconhecimento da emergência humanitária, que, segundo ele, está próxima de virar uma catástrofe.
De acordo com a ONU, devido à crise, um quarto da população da Venezuela, cerca de 7 milhões de pessoas, precisam de atenção humanitária urgente, e quatro milhões emigraram desde 2015.

Vamos continuar a seguir as notícias e divulgado vídeos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *