Câmara aprova texto-base de projeto que muda regras do Imposto Sobre Serviços

alguns instantes postado no portal: G1, da notícia “Câmara aprova texto-base de projeto que muda regras do Imposto Sobre Serviços”

De acordo com o veiculado pelo link G1:
Proposta prevê que local de cobrança do ISS passará da cidade onde fica a sede da empresa para o município onde está o consumidor. Votação deve ser concluída nesta terça (3). Deputados reunidos no plenário da Câmara durante a sessão desta segunda-feira (2)
Cleia Viana/Câmara dos Deputados
A Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira (2) o texto-base do projeto que muda as regras do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).
Com a aprovação do texto-base, por 312 votos a 1, os deputados terão de analisar os destaques, isto é, propostas que visam modificar a redação. Esta etapa está prevista para esta terça (3). Concluída a votação na Câmara, o projeto seguirá para o Senado.
O ISS é um tributo cobrado pelos municípios e pelo Distrito Federal sobre serviços. Pela regra atual, a cobrança é feita no município onde fica a sede da empresa prestadora de serviço.
O texto-base aprovado pela Câmara prevê que o local de cobrança passará da cidade onde fica a sede da empresa para o município onde está o consumidor.
A proposta define ainda que a mudança valerá para os serviços de:
plano de saúde (médico, hospitalar ou odontológico);
plano de atendimento e assistência médico-veterinária;
administração de consórcios, cartão de crédito e débito;
arrendamento mercantil (mecanismo usado na venda de veículos, por exemplo).
Transição
A proposta aprovada pelos deputados cria uma transição para esses setores. O objetivo, conforme o projeto, é fazer com que o tributo seja cobrado progressivamente no município onde o serviço é efetivamente prestado, ou seja, onde está o consumidor.
Na prática, como as atividades especificadas no projeto envolvem muitos consumidores, espalhados em várias cidades país, a tendência é que os recursos sejam distribuídos para uma quantidade maior de municípios em relação à distribuição atual.
A transição, conforme a proposta:
ocorrerá entre 2020 e 2023;
prevê redução progressiva dos percentuais de recursos destinados às cidades onde ficam as empresas;
prevê o aumento progressivo dos percentuais destinados às localidades onde estão os consumidores.

Vamos continuar seguindo as novidades e divulgado notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *