Coronel João de Moura – UMB defende Sistema de Saúde dos Militares – 03JUN2013



Hoje, a alguns minutos veiculado através do canal do Youtbe: Francisco Pires, o vídeo Coronel João de Moura – UMB defende Sistema de Saúde dos Militares – 03JUN2013

Segundo o que foi publicado através do link Francisco Pires: A União dos Militares do Brasil (UMB) concedeu em 1º de maio de 2011 Título Benemérito aos militares estaduais e respectivas pensionistas, ato que trouxe benefícios a mais de 100 mil pernambucanos.
Com ações que visam à manutenção, ampliação e resgate de conquistas sociais a UMB tem obtido sucesso na defesa do nosso sistema saúde. Em 2012, produziu vídeos e textos que denunciaram a venda da antiga vila dos oficiais, trabalho desenvolvido nas redes sociais que impediu a negociação da área onde funciona a Creche Tio Jener, o SAME, a Diretoria de Saúde e clínicas médicas. Neste ano de 2013, lançou a vitoriosa campanha “Diga Sim à Saúde” que frustrou a construção do terminal portuário do Projeto Navega Recife no local do estacionamento do CASIS, previsto para a ampliação do Hospital da PM.
Nenhuma surpresa trouxe à UMB, pois, o fato revelado na reunião do dia 03 de junho 2013 de que o Governo do Estado não assumirá responsabilidade alguma sobre déficit previsto (12 milhões de reais) do Sistema de Saúde dos Militares Estaduais e que se quisermos manter o serviço devemos fazê-lo às nossas custas. Mais uma tentativa de além de inviabilizar a nossa assistência à saúde, criar mais um ambiente desfavorável entre os gestores e a tropa.
Afirmaram os gestores haver sido encaminhado ao Comando Geral, projeto para reajustar em 200% as contribuições dos militares, sendo 100% no ano de 2013 e 100% no ano de 2014. Ou seja: de atual 1% para 2% do soldo, em 2013; e de 2% para 3% do soldo, em 2014.
Diante dos fatos a União dos Militares do Brasil:
1) Defende que a manutenção e ampliação do serviço de saúde é obrigação do estado, o qual não deve repassá-la, sob qualquer pretexto, aos militares.
2) Lembra que o desmantelamento do sistema de saúde dos militares do estado de Pernambuco teve início no pós-greve de 2007, quando o governo ARRAES descumpriu acordo com militares quanto a repasse mensal de valores correspondentes a 5,5% do total da folha de pagamento, ao sistema de saúde.
3) Requer que as associações representativas dos militares estaduais tenham assento e participação nos órgãos de auditagem e deliberação sobre captação e emprego de recursos financeiros no sistema de saúde.
4) Sugere a criação FUNDAÇÃO CIDADANIA através de lei competente para administrar a saúde dos militares do estado, como já acontece em alguns da federação.
5) Ampliará ações com foco na eficiência e eficácia dos serviços

Assista o vídeo logo abaixo:

Continuaremos a seguir o canal e publicando vídeos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *