‘Desbravadores’: Anhanguera e Bandeirantes cortam importantes circuitos turísticos do Interior | Campinas e Região



Desbravar o interior do país em busca de novas áreas para exploração de ouro e prata. Essa era a missão dos bandeirantes, denominação dada aos sertanistas no período colonial. Foram essas rotas das bandeiras que deram origem ao trajeto percorrido e hoje, demarcado, pelas Rodovias Anhanguera (SP-330) e Bandeirantes (SP-348).

As duas vias de ligação entre a Capital e o Interior serão tema da série “Desbravadores” da EPTV, afiliada da TV Globo, a partir da próxima segunda-feira (10).

O G1 preparou um roteiro que mostra que Anhanguera e Bandeirantes, que acabaram de completar 70 e 40 anos, respectivamente, vão além do vaivém frenético de carros e caminhões. As estradas servem de ligação a circuitos turísticos no Interior paulista. Confira:

Série da EPTV "Desbravadores" conta história e construção das Rodovias Anhanguera e dos Bandeirantes  — Foto: Reprodução EPTVSérie da EPTV "Desbravadores" conta história e construção das Rodovias Anhanguera e dos Bandeirantes  — Foto: Reprodução EPTV

Série da EPTV “Desbravadores” conta história e construção das Rodovias Anhanguera e dos Bandeirantes — Foto: Reprodução EPTV

Uma mistura de sabores, lindas paisagens e tradição. Esse é o Circuito das Frutas. Criado em 2002 com o objetivo de facilitar a integração entre municípios famosos pela produção de frutas e outros produtos rurais, o roteiro é composto por dez cidades localizadas no Sudeste do Estado de São Paulo, com acesso pelas Rodovias Anhanguera (SP-330) e dos Bandeirantes (SP-348).

O polo é formado por Atibaia (SP), Indaiatuba (SP), Itatiba (SP), Itupeva (SP), Jarinu (SP), Jundiaí (SP), Louveira (SP), Morungaba (SP), Valinhos (SP) e Vinhedo (SP), todas com uma forte presença no setor rural da economia e com grande volume de produção de uva, caqui, figo, goiaba, morango, acerola, pêssego, entre outras.

Diversos sítios, que permitem visitação, realizam a atividade do ‘colha e pague’ para que o turista possa experimentar sucos, vinhos, queijos, mel, salame e uvas “do pé”.

Cabreúva, Louveira e Jundiaí fazem parte do Circuito das Frutas  — Foto: DivulgaçãoCabreúva, Louveira e Jundiaí fazem parte do Circuito das Frutas  — Foto: Divulgação

Cabreúva, Louveira e Jundiaí fazem parte do Circuito das Frutas — Foto: Divulgação

  • Fundada por imigrantes italianos, Louveira (SP) oferece várias opções de fazendas e propriedades rurais de famílias tradicionais. O acesso é simples, já que o município é cortado pela Rodovia Anhanguera (SP-330).
Espaço turístico em Louveira (SP) — Foto: Matheus Filippi/G1Espaço turístico em Louveira (SP) — Foto: Matheus Filippi/G1

Espaço turístico em Louveira (SP) — Foto: Matheus Filippi/G1

  • A 89 km da capital, Cabreúva (SP) é cortada pela Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) e traz uma atração diferente das outras cidades do Circuito das Frutas. O destaque é para o tempo budista Kadampa Brasil. A construção, cercada de muito verde, pode ser vista da estrada e oferece retiros e cursos, além de visitação.
  • Uma das cinco maiores cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), Indaiatuba (SP) se tornou cidade turística e é uma das paradas do Circuito das Frutas. O Parque Ecológico é um dos destaques para visitantes.
  • Além do turismo ambiental, a cidade resgata referências religiosas e históricas, com locais como a Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária e a Igreja Nossa Senhora de Lourdes, na Colônia Helvetia, de imigrantes suíços, fundada em 1888.
  • Atibaia (SP) é uma das principais produtoras de morangos e flores no país e todo mês de setembro acontece a tradicional festa em comemoração à chegada da primavera, um dos principais eventos da região.
  • A cidade abriga uma das maiores colônias japonesas do Estado. Dois locais para visitar em Atibaia são o Parque das Águas e o Mercado Municipal, que oferece as produções rurais dos produtores locais.
Festa em Atibaia valoriza cultura Japonesa.   — Foto: Glaucia Pantaleão da SilvaFesta em Atibaia valoriza cultura Japonesa.   — Foto: Glaucia Pantaleão da Silva

Festa em Atibaia valoriza cultura Japonesa. — Foto: Glaucia Pantaleão da Silva

  • Conhecida como terra da uva, Jundiaí (SP) combina patrimônio histórico e modernidade urbana. Cortada por Anhanguera e Bandeirantes, pode ser o ponto de partida para o Circuito das Frutas.
  • Itupeva (SP) oferece diversas opções de visitação no Circuito das Frutas. A Estátua do Cristo, a Usina Antiga e a Gruta do Quilombo são locais de parada obrigatória na cidade.
Itupeva oferece diversas opções de fazendas abertas para a visitação  — Foto: DivulgaçãoItupeva oferece diversas opções de fazendas abertas para a visitação  — Foto: Divulgação

Itupeva oferece diversas opções de fazendas abertas para a visitação — Foto: Divulgação

  • Nas colinas do vale da Serra de Cabras, Morungaba (SP) convida turistas à tranquilidade. Fundada em meados do século XIX, a cidade, localizada a 93 km da capital paulista, era chamada de Conceição de Barra Mansa. A estância climática se destaca pela produção de uvas, figo, laranja e pêssego.
  • Terra de nascimento do compositor e cantor Adoniran Barbosa, Valinhos (SP) é conhecida como a capital do figo roxo e da goiaba. Para quem quer conhecer a cidade, o Parque Municipal Bruno Nardini e o Centro de Artes, Cultura e Comércio “Adoniran Barbosa” são boas pedidas para os turistas, além da Igreja Matriz de São Sebastião.
Altar da matriz São Sebastião em Valinhos (SP) — Foto: Sergio Luiz Jorge/Expressão StudioAltar da matriz São Sebastião em Valinhos (SP) — Foto: Sergio Luiz Jorge/Expressão Studio

Altar da matriz São Sebastião em Valinhos (SP) — Foto: Sergio Luiz Jorge/Expressão Studio

  • Algumas das suas principais atrações turísticas de Jarinu (SP), cidade próxima a Itatiba e Louveira, são a Igreja Matriz, o Museu Terra Brasil e o Alambique Zanoni, com licores de cachaça com sabores diversos, como abacaxi, amora, banana, canela, cappuccino, coco, jabuticaba e limão.
  • Em 1950 começa a ser oficialmente realizada a Festa da Uva de Vinhedo (SP), até hoje, o principal evento da cidade. A 78 km da capital e com acesso pela Rodovia Anhanguera, Vinhedo tem como destaques ainda o Hopi Hari e o Parque Municipal Jayme Ferragut.
  • Como referência à imigração italiana, o visitante pode conhecer o Monumento ao Imigrante e Memorial do Imigrante, no Jardim Itália, além da Igreja Matriz de Santa’Anna, no centro da cidade.
Hopi Hari, em Vinhedo — Foto: Luciano Calafiori/G1Hopi Hari, em Vinhedo — Foto: Luciano Calafiori/G1

Hopi Hari, em Vinhedo — Foto: Luciano Calafiori/G1

Circuito das Águas Paulista

Uma opção para os turistas que passam pelas rodovias Anhanguera e Bandeirantes são os municípios do Circuito das Águas Paulista, com rota turística nove cidades com características e atividades diferenciadas, permitindo um roteiro diverso em poucos dias.

Entre os motivos para visitar o Circuito das Águas estão a riqueza histórica das cidades, a presença de variados tipos de artesanato, malhas, couro, doces, flores, o ecoturismo e o turismo rural, além das estâncias de águas termais e minerais.

  • Considerada a capital termal do Brasil, Águas de Lindóia (SP) conta com centros hidroclimáticos e conta com o Balneário Municipal, com banhos de imersão, banhos de espuma com essências, massoterapia, ducha escocesa e fonte de água mineral para quem busca fugir da agitação das grandes cidades.
  • O cartão postal de Águas de Lindóia é a Praça Adhemar de Barros, com jardins projetados por Roberto Burle Marx, um dos maiores paisagistas e artistas plásticos brasileiros.
Pedalinho em Águas de Lindoia atrai turistas para passeio em família — Foto: Luis Tucci Pedalinho em Águas de Lindoia atrai turistas para passeio em família — Foto: Luis Tucci

Pedalinho em Águas de Lindoia atrai turistas para passeio em família — Foto: Luis Tucci

  • A cidade conhecida como a “Capital do Cavalo” realiza, há duas décadas, a tradicional Festa de Peão. Para quem quer conhecer Jaguariúna, o Teatro Municipal Dona Zenaide e a Antiga Estação da Companhia Mogiana são boas pedidas, além do Museu Ferroviário, que abriga uma locomotiva inglesa e relembra a época dos barões do café.
  • Localizada no Circuito das Águas Paulista, Pedreira (SP) é referência quando o assunto é a produção e venda de artigos de porcelana. Um ponto turístico é o Complexo Turístico do Morro do Cristo, que retrata as estações da Via-sacra, chegando finalmente à imagem do Cristo Redentor de onde se pode avistar toda a cidade.
  • Em Pedreira o turista pode visitar o monumento da Revolução Constitucionalista de 1932, além do Museu da Porcelana para conhecer mais sobre as produções da cidade.
Museu Histórico e da Porcelana de Pedreira (SP) — Foto: Karen ÍsisMuseu Histórico e da Porcelana de Pedreira (SP) — Foto: Karen Ísis

Museu Histórico e da Porcelana de Pedreira (SP) — Foto: Karen Ísis

  • Sendo a capital histórica do Circuito das Águas, Amparo (SP) se destaca pelas antigas fazendas e lavouras de café em contraste com as edificações modernas do centro urbano. O Parque Ecológico Municipal, observatório Astronômico e o Museu Histórico Bernardino de Campo são lugares que merecem ser visitados por quem passa pela cidade.
  • Conhecida como a “cidade da saúde”, Serra Negra possui características climáticas semelhantes a da Serra da Mantiqueira e traz um dos maiores centro de turismo de compras e turismo a céu aberto na Rua Coronel Pedro Penteado.
Parque dos Macaquinhos em Serra Negra (SP), uma boa pedida para turistas que visitam a cidade  — Foto: Magali Godoy Parque dos Macaquinhos em Serra Negra (SP), uma boa pedida para turistas que visitam a cidade  — Foto: Magali Godoy

Parque dos Macaquinhos em Serra Negra (SP), uma boa pedida para turistas que visitam a cidade — Foto: Magali Godoy

  • Estância hidromineral, Lindoia (SP) é um dos municípios cortados pelo Rio do Peixe e traz belas cachoeiras para aqueles que gostam de unir o turismo de aventura às paisagens naturais. A Ilha dos Amores, Ilha do Padre e as cachoeiras do Salto, dos Costas e do Fecho são indicados para quem visita a cidade.
  • Aliada à forte influência da colonização holandesa na arquitetura e gastronomia, Holambra (SP) é considerada uma das mais charmosas cidades do interior de São Paulo (SP).
  • Um dos seus principais eventos é a Expoflora, a maior feira de flores da América Latina realizada anualmente sempre durante o mês de setembro. A cidade possui uma grande estrutura para o turismo, com inúmeras opções de lazer, passeios, compras, hospedagem e ótima gastronomia.
Investimento em tecnologia garante flores o ano inteiro em Holambra — Foto: Reprodução/JNInvestimento em tecnologia garante flores o ano inteiro em Holambra — Foto: Reprodução/JN

Investimento em tecnologia garante flores o ano inteiro em Holambra — Foto: Reprodução/JN

  • Em Holambra, os turistas podem observar o maior moinho da América Latina, o ‘Moinho Povos Unidos’. Alguns dos principais pontos turísticos da cidade são as estufas de plantações de flores e o Museu Histórico Cultural.
Moinho Povos Unidos, cartão-postal de Holambra (SP) — Foto: Caroline MagalhãesMoinho Povos Unidos, cartão-postal de Holambra (SP) — Foto: Caroline Magalhães

Moinho Povos Unidos, cartão-postal de Holambra (SP) — Foto: Caroline Magalhães

  • Próxima a Amparo (SP), Monte Alegre do Sul (SP) é uma estância hidromineral. Um dos pontos turísticos é o Santuário do Senhor Bom Jesus, ornamentado por pinturas e com um altar entalhado em madeira e em mármore esculpido.
  • A terra do turismo de aventura. É assim que a maioria dos visitantes define a cidade de Socorro (SP). A 138 km de São Paulo, Socorro é referência na prática dos esportes radicais como canoagem, rafting, rapel, tirolesa, escalada, voo livre arvorismo, mountain bike e cicloturismo. Roupas e artesanatos também são um atrativo da cidade com o conhecido Circuito das Malhas.
Socorro (SP) oferece passeios de canoagem, rafting, rapel, tirolesa, escalada, voo livre arvorismo, mountain biking e cicloturismo — Foto: Rafael MatosSocorro (SP) oferece passeios de canoagem, rafting, rapel, tirolesa, escalada, voo livre arvorismo, mountain biking e cicloturismo — Foto: Rafael Matos

Socorro (SP) oferece passeios de canoagem, rafting, rapel, tirolesa, escalada, voo livre arvorismo, mountain biking e cicloturismo — Foto: Rafael Matos

Circuito Turístico de Ciência e Tecnologia

Com o objetivo de apresentar os potenciais turísticos relacionados à ciência e tecnologia, o Circuito Turístico reúne oito cidades com destaque para o desenvolvimento na área e também com acesso pelas rodovias Anhanguera e Bandeirantes.

  • A região de Carioba, na cidade de Americana (SP), é um dos pontos de visitação. No local, foram instaladas as primeiras fábricas têxteis do Estado de São Paulo, na Vila Industrial, no início do século XX. O Casarão Herman Muller é um dos locais que mais recebe turistas na cidade, com exposições programadas.
Casarão Herman Muller, em Americana (SP) — Foto: Paulo LiCasarão Herman Muller, em Americana (SP) — Foto: Paulo Li

Casarão Herman Muller, em Americana (SP) — Foto: Paulo Li

  • Em Piracicaba (SP), a cidade, cortada pelo rio, tem sua história relacionada diretamente ao curso d’água, homenageado no Museu da Água, com entrada gratuita. Ao longo do rio se avista a Rua do Porto, uma referência por reunir restaurantes com petiscos de peixe, cervejaria e cachaça.
  • O Observatório Astronômico Municipal é complexo didático, cientifico, cultural e turístico com recursos audiovisuais, biblioteca, instrumentos científicos, como o relógio de sol, telescópios e lunetas e também pode ser visitado por quem passar por Piracicaba. A visitação é aberta aos sábados, das 19h às 22h.
Parque da Rua do Porto em Piracicaba — Foto: Fernando Jacomini/G1Parque da Rua do Porto em Piracicaba — Foto: Fernando Jacomini/G1

Parque da Rua do Porto em Piracicaba — Foto: Fernando Jacomini/G1

  • A 99 km de São Paulo, Campinas (SP) é a terceira maior cidade do Estado e considerada um dos polos tecnológicos e de pesquisa do Interior. Para quem vier a cidade, o Observatório Municipal de Campinas Jean Nicolin, no distrito de Joaquim Egídio, oferece ao público quatro telescópios para os apaixonados por astronomia.
Observatório Jean Nicolini em Campinas — Foto: Roberta Steganha/ G1Observatório Jean Nicolini em Campinas — Foto: Roberta Steganha/ G1

Observatório Jean Nicolini em Campinas — Foto: Roberta Steganha/ G1

  • Entre as instituições localizadas no município que integram o Circuito de Tecnologia estão a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Centro de Pesquisas e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) e o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), na Fazenda Santa Elisa.
  • Campinas também possui construções históricas como a Catedral Metropolitana e o centro da cidade, com prédios no estilo neoclássico e barroco.
Catedral Metropolitana de Campinas em 1898 e nos tempos atuais — Foto: MIS, Luciano Calafiori e Arte G1

Catedral Metropolitana de Campinas em 1898 e nos tempos atuais — Foto: MIS, Luciano Calafiori e Arte G1

  • Foi por volta de 1830 que Limeira (SP) começou a receber as primeiras carroças na fazenda de Imbica, produtora de instrumentos para os soldados na Guerra do Paraguai e um dos marcos de fundação da cidade.
  • Desde julho de 2017, o Centro de Ciência Professor Osvaldo Roberto Leite se tornou um dos atrativos de Limeira, e abriga uma exposição de fósseis de paleontologia, com atendimento diário das 12h às 18h para visitantes.
  • O Zoológico, anexo ao Horto Florestal, abriga uma variedade de espécies inclusive em risco de extinção, e tem entrada gratuita para quem quiser visitar.
Zoológico de Limeira (SP) abriga espécies em extinção e tem entrada gratuita para visitantes  — Foto: Ken ChuZoológico de Limeira (SP) abriga espécies em extinção e tem entrada gratuita para visitantes  — Foto: Ken Chu

Zoológico de Limeira (SP) abriga espécies em extinção e tem entrada gratuita para visitantes — Foto: Ken Chu

  • Sumaré (SP) tem sua origem vinculada às sesmarias, divisão de terras agrícolas para a produção feita pelos colonizadores portugueses. As mais antigas referências à região do Quilombo têm mais de 200 anos.
  • A denominação Sumaré, nome de uma orquídea originária dessa região, se deu em 1945 junto com o marco da Igreja Matriz. O Horto Florestal, com espaços para caminhadas e espécies nativas, e a Praça das Bandeiras são locais de visitação.
Horto Florestal em Sumaré (SP) é uma boa opção de visita na cidade  — Foto: Arquivo Prefeitura Municipal de Sumaré Horto Florestal em Sumaré (SP) é uma boa opção de visita na cidade  — Foto: Arquivo Prefeitura Municipal de Sumaré

Horto Florestal em Sumaré (SP) é uma boa opção de visita na cidade — Foto: Arquivo Prefeitura Municipal de Sumaré

Fonte

قالب وردپرس

Deixe uma resposta