Entenda o AVC em jovens, como no caso do entregador de aplicativo



Hoje, a alguns momentos ocorreu a veicução no portal: R7, do artigo “Entenda o AVC em jovens, como no caso do entregador de aplicativo”

De acordo com o que foi divulgado através do site R7:

Thiago de Jesus sofreu um AVC e esperou socorro por duas horas

Thiago de Jesus sofreu um AVC e esperou socorro por duas horas
Arquivo Pessoal

No último sábado (6), o entregador de aplicativo Thiago de Jesus, 33, começou a passar mal durante o seu trabalho e teria sofrido um AVC (acidente vascular cerebral). A cliente Ana Luísa Pinto acionou o resgate, que demorou duas horas para prestar o serviço. Dois dias depois, Thiago morreu.

De acordo com a neurologista Diana Lara, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, o AVC é um problema que exige atendimento rápido para que o paciente sofra o mínimo de sequelas possíveis, tendo uma chance maior de ter a recuperação plena.

Leia também: Campanha alerta sobre importância do atendimento rápido no AVC

Diana afirma que o relato detalhado dos sintomas do paciente para o atendente do serviço de emergências também pode acelerar o processo do atendimento. “Esse rapaz teve alguns sintomas claros de AVC, geralmente associados ao tipo hemorrágico, com fortes dores de cabeça, náuseas e convulsões. Explicar os sinais para o serviço de emergência é essencial para que possam perceber a gravidade do problema”, explica.

Segundo ela, o ideal é esperar o atendimento de emergência chegar e não levar o paciente ao pronto-socorro, pois a manipulação do paciente pode piorar o quadro de saúde. Durante a espera, é importante que a pessoa seja mantida em local seguro, que as vias aéreas estejam livres para que respire e ela esteja aquecida.

Saiba mais: Como saber se você tem um aneurisma? Neurologistas explicam

“Apesar de o AVC estar associado a idosos, também pode ocorrer em pessoas jovens. Entre os principais causadores do problema em faixas etárias mais baixas estão aneurismas, hipertensão, tabagismo, drogas, uso de anticoncepcionais, histórico familiar e estilo de vida estressante que, consequentemente, leva à má alimentação, aumentando o colesterol e o risco de sofrer o AVC”, afirma Diana.

Outros possíveis causadores de AVC são o uso de alguns medicamentos e pessoas que tenham alguma alteração de coagulação sanguínea.

Os tipos de AVC são o isquêmico, quando há a obstrução de um vaso sanguíneo cerebral por um coágulo, ou hemorrágico. Entre os sinais que o problema pode apresentar estão a fraqueza, perda de força, rosto assimétrico, fala incompreensível, visão embaçada, tontura, náuseas, vômitos e forte dor de cabeça, podendo ser descrita como a pior que já teve.

Veja também: Trombose é mais frequente em homens acima de 40 anos

Pessoas que tenham histórico familiar de AVC na família, seja por casos entre jovens e idosos, devem buscar orientações e acompanhamento médico, que investigará as possíveis causas do problema na família e fará o rastreio de forma individualizada.

Para evitar a ocorrência de AVC, Diana orienta que o tabagismo seja evitado, que doenças como hipertensão, diabetes e colesterol sejam controlados, que seja realizada uma dieta saudável e que mulheres que tenham tendência a sofrer trombose procurem a orientação de um ginecologista para utilizar outros métodos contraceptivos diferentes da pílula anticoncepcional.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Saiba quais são os sinais do AVC, no qual atendimento rápido é decisivo:

Vamos continuar a seguir as novidades e publicando vídeos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *