Quanto tempo se leva normalmente para engravidar?



Hoje, a alguns instantes foi aconteceu a veicução através do site: HuffPost, da notícia “Quanto tempo se leva normalmente para engravidar?”

Segundo o que foi divulgado através do site HuffPost: Um ano é uma média boa para a maioria dos casais que tentam conceber por meio do sexo, disse ginecologista.

A decisão de ter filhos pode ser emocionante, mas também causar estresse inesperado, especialmente se vocês iniciarem o processo mas demorarem para engravidar.

Quanto tempo vai levar para você engravidar depois de começar a tentar? A resposta depende de vários fatores. Mas existem algumas linhas do tempo gerais que podem servir de parâmetro.

Muitas pessoas acabam engravidando em até seis meses depois de começarem a tentar por meio do sexo, disse Alan B. Copperman, diretor de endocrinologia reprodutiva e infertilidade no departamento de obstetrícia, ginecologia e ciência reprodutiva do Sistema de Saúde Mount Sinai.

“Se a mulher tem entre 20 e 30 anos, a maioria de seus óvulos é saudável, e geralmente não tem dificuldade em conceber”, disse Copperman.

Mas mulheres mais velhas podem levar mais tempo para engravidar e a gravidez pode ser mais complicada. Isso não chega a ser incomum; pesquisas revelam que cada vez mais mulheres estão optando por ter filhos mais tarde na vida. E muitas delas têm gestações saudáveis.

Estimativas sugerem que 12,1% das mulheres de 15 a 44 anos têm problemas de fertilidade, segundo estatísticas do Centro americano de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Cerca de 7,3 milhões de mulheres nessa faixa etária procuraram auxílio médico nos EUA.

Mas espere um ano antes de começar a se preocupar. A ginecologista Shweta Patel, da Orlando Health Physician Associates, explicou que um ano é um prazo de referência bom para casais que tentam conceber através do sexo. Para quem tem mais de 35 anos, pode ser o caso de procurar um médico em menos tempo, já que as mulheres tendem a ter menos óvulos viáveis com o passar do tempo.

“Eu diria que em média um em cada dez casais terá sucesso no primeiro mês e a cada mês depois disso”, disse Patel. “Isso é quando falamos de um casal saudável que está simplesmente tentando engravidar sem qualquer outro método de acompanhamento ou planejamento de fertilidade.”

Essas recomendações se aplicam principalmente à concepção por meio do sexo, mas algumas das mesmas normas se aplicam a outros métodos. Se você está pensando em engravidar com fertilização in vitro (FIV), levará uma a duas semanas de estimulação ovariana – que envolve a injeção de medicamentos para ajudar seus ovários a produzir vários óvulos – para que os médicos possam colher os ovos.

Depois da coleta dos óvulos e da fertilização, o embrião é transferido para o útero. Entre 12 e 14 dias mais tarde você saberá se o procedimento funcionou e se você está grávida. Podem ser necessários vários ciclos de FIV para você engravidar (mas é claro que isso é diferente para cada pessoa, e não existe garantia de sucesso). Outra questão é que a FIV tem custo alto – e você deve se preparar para isso de antemão.

Como elevar suas chances de engravidar em menos tempo

Especialistas sugerem que você se cuide para estar com a melhor saúde possível antes de tentar engravidar.

Se você quer melhorar suas chances de conceber no primeiro ano através do sexo, pode usar um conjunto de estratégias.

Para começar, Patel e Copperman sugerem que você procure chegar ao melhor estado de saúde possível antes de tentar engravidar. Seria recomendável ir ao médico antes de iniciar o processo, para assegurar que seu corpo está na melhor condição possível para uma gestação. Isso também é importante se vocês vão fazer FIV. Pesquisas indicam, por exemplo, uma ligação entre deficiência de vitamina D e chances menores de conceber por FIV.

“É importante enfocar a boa saúde, o bem-estar e a consciência reprodutiva”, disse Copperman, explicando que seu médico pode pedir exames genéticos e outros padronizados que podem trazer informações importantes.

Se você estiver com uma infecção, por exemplo, seria bom tratá-la antes de tentar conceber. Se tiver uma anormalidade genética que possa impedir a concepção, vai querer saber disso.

Além disso, falou Patel, é recomendável fazer um checape para identificar problemas de saúde que possam ser melhorados. “Por exemplo”, disse a ginecologista, “se você diabetes ou hipertensão não controlada, seria bom controlar tudo isso”.

Patel disse ainda que a obesidade pode elevar as chances de uma mulher desenvolver problemas como diabetes gestacional e elevar seu risco de sofrer complicações como aborto espontâneo ou dar à luz um bebê natimorto. Problemas de tireóide não tratados também podem elevar as chances de a mulher ter um filho natimorto, ter parto prematuro ou sofrer um aborto espontâneo. Seu ginecologista lhe dirá que outros problemas de saúde precisarão ser tratados.

Se vocês estão tentando engravidar através do sexo, disse Patel, há uma combinação de ferramentas que ajudam a definir o período em que você está fértil a cada mês. Os apps para isso são muito utilizados hoje.

“Digo às pacientes que os apps geralmente são baseados em algoritmos e não estão cientificamente ligados ao seu corpo”, falou Patel. “Isto dito, são úteis para definir com mais precisão a semana na qual você provavelmente estará ovulando.”

O Natural Cycles é um aplicativo que rastreia a fertilidade usando o método da temperatura corporal basal, que mede sua temperatura diariamente para prever quando você está ovulando. É um dos únicos aplicativos de contracepção aprovados pela Food and Drug Administration (FDA). Muitas pessoas o utilizam para ajudá-las a engravidar (ou como método anticoncepcional).

Patel disse que se você quiser avaliar visualmente, pode examinar seu muco cervical para ver quando alcança uma consistência de gema de ovo. Quando o nível de esrogênio sobe e você se aproxima da ovulação, esse muco mais espesso ajuda os espermatozoides a atravessar o colo do útero em direção ao óvulo, aumentando suas chances de conceber. Você deve ver um muco transparente, como clara de ovo crua, escorregadio ou elástico alguns dias antes de ovular e também enquanto está ovulando, que é seu momento de pico de fertilidade.

“Uma vez que você esteja na semana certa, o que saberá pela observação dos sinais, pode usar kits de previsão de ovulação para saber o dia mais indicado”, disse Patel. “Comecem a fazer sexo no dia que o teste de ovulação der positivo e também alguns dias mais tarde.”

Para ter a maior precisão possível, use todos os três métodos. “É melhor usar aplicativos em conjunto com temperatura corporal basal e a consistência do muco cervical”, disse Patel.

E se já tiver se passado mais de um ano?

Mesmo que você não tenha engravidado depois de um mês ou de um ano, isso não significa que não vá engravidar.

Se já se passou um ano – ou menos, dependendo de sua idade –, talvez esteja na hora de procurar o médico para traçar um plano mais completo.

“Nunca é cedo para fazer um checape reprodutivo”, disse Copperman, explicando que isso é recomendado para pacientes com menos de 35 anos depois de tentarem por um ano e para pacientes com mais de 35 se já estão tentando há seis meses sem sucesso. Mas, não importa sua idade, se você quiser fazer o checape antes disso, “sinta-se no direito de fazer perguntas e obter respostas mais cedo em vez de mais tarde”, disse ele.

Em outras palavras, se você estiver preocupada, não há nada de errado em fazer o checape reprodutivo a qualquer momento do processo de tentar conceber. Ou então, se você estiverem apenas tentando, procure marcar uma consulta com o médico para daqui a um ano, só para não precisar se estressar com isso.

Na hora do checape, comece com uma consulta com o ginecologista. Alguns ginecologistas podem encaminhar vocês para um especialista em fertilidade, que vai verificar a presença de quaisquer infecções, problemas com a produção ou motilidade de espermatozoides, danos estruturais, desordens de ovulação e outros.

“Podemos aprender muito fazendo um histórico médico completo”, disse Copperman. “Na consulta inicial, o especialista em fertilidade geralmente já consegue definir se a causa da infertilidade está ligada aos óvulos, espermatozoides, útero ou trompas.”

Em um terço dos casos há um problema relacionado ao homem; em um terço dos casos ocorre um problema ligado à mulher; e em um terço dos casos há problemas que afetam a fertilidade de ambos ou não há causa conhecida, disse Patel.

“Os homens fazem uma análise do sêmen, mas no caso das mulheres, é mais complexo”, ela explicou. “Verificamos se não há uma falha de comunicação entre o cérebro e os ovários envolvendo os hormônios que vão ajudar a preparar e liberar os óvulos. Vamos checar se existe alguma razão por que ela não estaria ovulando. Checamos para ver se há uma anormalidade genética.”

Se você não engravidar após o primeiro ciclo de FIV (a maioria não engravida com no primeiro ciclo – as chances de isso acontecer não passam de 21%), o médico pode sugerir algumas mudanças em seus medicamentos ou suas rotinas, para melhorar suas chances de sucesso no próximo ciclo.

Os tratamentos variam conforme a causa do problema e como você está tentando engravidar, se é através do sexo ou de intervenções médicas.

“As opções de tratamento frequentemente são de baixa tecnologia”, disse Copperman. “Pode ser algo tão simples quanto o casal programar suas relações sexuais para se ajustar ao período de ovulação da mulher. Em outros casos pode ser útil recorrer à inseminação intrauterina, a medicamentos de fertilidade, como o citrato de clomifeno, ou até a procedimentos como a laparoscopia ou histeroscopia.”

No caso dos casais que procuram engravidar através do sexo, Patel disse que se não existe bloqueio ou anormalidade estrutural, ela gera experimenta o citrato de clomifeno por seis meses. Trata-se de um comprimido por dia a ser tomado por cinco dias a partir do quinto dia do ciclo da mulher.

“Todo mês os óvulos competem para ver qual será liberado por um ovário”, disse Patel. “Em termos simples, removemos o mecanismo que impede todos os óvulos de serem liberados de uma vez, permitindo que a mulher libere mais de um óvulo por ciclo.”

Quando o citrato de clomifeno não surte efeito, Patel frequentemente opta pelo letrozol, um medicamento mais forte que tem efeito semelhante. Se seis ciclos de letrozol não surtirem efeito, a recomendação feita ao casal pode ser a FIV.

Todos esses tratamentos vão elevando sucessivamente suas chances de conceber filhos biológicos. Portanto, saiba que se vocês querem ter filhos, existem muitas opções a ser tentadas. E, se você não engravidar depois de um mês ou mesmo depois de um ano, não significa que isso não vá acontecer. Continue tentando, um passo a cada vez.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.

Também no HuffPost:

Vamos continuar a seguir o canal e publicando vídeos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *