‘Quero que o Brasil faça silêncio para ouvir João Gilberto’, diz viúva, emocionada, minutos antes de velório



Hoje, a poucos momentos atrás veiculado no link do: G1, da notícia “‘Quero que o Brasil faça silêncio para ouvir João Gilberto’, diz viúva, emocionada, minutos antes de velório”

Segundo o que foi informado através do site G1:
Maria do Céu Harris, de 55 anos, era a atual companheira de João Gilberto. Muito sensibilizada, ela chorou ao lembrar do marido. Maria do Céu Harris, viúva de João Gilberto, em frente ao apartamento do casal no início da tarde deste domingo (7)
Carlos Brito / G1
Muito emocionada, Maria do Céu Harris, de 55 anos, viúva de João Gilberto, se emocionou ao mencionar o marido na manhã desta segunda-feira (8).
“Eu quero que o Brasil faça silêncio para ouvir João Gilberto. Que os brasileiros ouçam mais João Gilberto”, disse Maria, chorando, minutos antes do início do velório do músico no Theatro Municipal.
João Gilberto morreu em casa, no sábado (6), aos 88 anos. O músico, um dos criadores da bossa nova, enfrentava problemas de saúde havia alguns anos. Ele deixa três filhos: Bebel Gilberto, João Marcelo Gilberto e Luisa Carolina.
Maria do Céu chegou ao velório de João Gilberto às 9h30
Carlos Brito / G1
Recluso, João foi interditado judicialmente por Bebel no fim de 2017. A interdição motivou uma disputa familiar entre Bebel e João Marcelo.
Em nota divulgada na época, a advogada de Bebel disse que a intervenção foi motivada por problemas de saúde e complicações financeiras do cantor.
Pai da bossa nova
João Gilberto Prado Pereira de Oliveira concluiu em 1961 a trilogia de álbuns fundamentais que apresentaram a bossa nova ao mundo: “Chega de saudade” (1959), “O amor, o sorriso e a flor” (1960) e “João Gilberto” de 1961.
O álbum que marcou o início do gênero em 1959, “Chega de saudade”, traz a música de mesmo nome composta por Tom Jobim (1927-1994) e Vinicius de Moraes (1913-1980).
A canção havia sido apresentada em um LP em abril de 1958 por Elizeth Cardoso (1920-1990), mas a versão mais conhecida, com a voz de João, foi lançada em agosto do mesmo ano.
João Gilberto nasceu em Juazeiro, na Bahia, em 10 de junho de 1931. O governo do estado declarou três dias de luto pela morte.
Depois de alguns anos morando em Aracaju (SE), onde passou a tocar na banda escolar, voltou à sua cidade-natal e, aos 14 anos, ganhou o primeiro violão do pai.
Depois da consagração, lançou criações próprias e seguiu com shows e discos que se tornaram obras de arte, como é o caso de “Amoroso”, álbum gravado nos Estados Unidos entre 1976 e 1977 sob o selo Warner Music.
O álbum foi relançado no Brasil em formato longo durante os festejos dos 60 anos da Bossa Nova. O álbum celebra o encontro harmonioso do artista brasileiro com o maestro alemão Claus Ogerman (1930 – 2016).
A produção de João foi objeto de uma disputa judicial em 2018. A defesa do cantor pedia uma revisão no valor de uma indenização da gravadora EMI Records, hoje controlada pela Universal Music. Em 2015, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) proibiu a empresa de vender os discos do artista sem seu consentimento. A Universal não comenta o caso.
Initial plugin text

Vamos continuar a seguir as novidades e publicando notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *