Se ligue nos links (8 de dezembro) | Blog do Helio Gurovitz



1) O representante de Donald Trump para as negociações comerciais com a China, Robert Lighthizer, já era aventado quase dois anos atrás como o nome ideal para a missão em perfil na Foreign Policy. No Guardian, Charles Arthur decifra os prováveis motivos que levaram à prisão da diretora-financeira da empresa chinesa Huawei no Canadá e os desdobramentos do caso na disputa entre chineses e americanos. Também no Guardian, Louisa Lim e Julia Bergin analisam a estratégia de comunicação da China para cuidar de sua imagem no Ocidente.

Fábrica de GM em Detroit, Estados Unidos — Foto: DivulgaçãoFábrica de GM em Detroit, Estados Unidos — Foto: Divulgação

Fábrica de GM em Detroit, Estados Unidos — Foto: Divulgação

2) Na National Review, Kevin Williamson afirma que a crise da montadora americana General Motors, que planeja fechar cinco fábricas nos Estados Unidos, resulta da generosidade com que foi tratada pelo governo no pacote de salvação depois da crise financeira de 2008.

Robert Mueller, procurador-especial encarregado de investigar o caso “Russiagate” — Foto: Associated PressRobert Mueller, procurador-especial encarregado de investigar o caso “Russiagate” — Foto: Associated Press

Robert Mueller, procurador-especial encarregado de investigar o caso “Russiagate” — Foto: Associated Press

3) Na Vanity Fair, T.A.Frank oferece um ponto de vista cético sobre as investigações do procurador-especial Robert Mueller a respeito das conexões da campnaha eleitoral de Trump com os russos.

Uma antiga área de mineração de cobre em Katowice, na região polonesa da Silésia, se tornou sede da cúpula climática COP-24 — Foto: JANEK SKARZYNSKI / AFPUma antiga área de mineração de cobre em Katowice, na região polonesa da Silésia, se tornou sede da cúpula climática COP-24 — Foto: JANEK SKARZYNSKI / AFP

Uma antiga área de mineração de cobre em Katowice, na região polonesa da Silésia, se tornou sede da cúpula climática COP-24 — Foto: JANEK SKARZYNSKI / AFP

4) No Politico europeu, Wojcieh Kosc relata como a indústria carvoeira de Katowice, sede da reunião climática COP-24, da ONU, tem promovido a transição para modalidades mais limpas de energia.

O caixão do ex-presidente americano George H. W. Bush é carregado pela guarda de honra militar durante cerimônia fúnebre na Catedral Nacional em Washington, nos EUA — Foto: Andrew Harnik/pool/AFPO caixão do ex-presidente americano George H. W. Bush é carregado pela guarda de honra militar durante cerimônia fúnebre na Catedral Nacional em Washington, nos EUA — Foto: Andrew Harnik/pool/AFP

O caixão do ex-presidente americano George H. W. Bush é carregado pela guarda de honra militar durante cerimônia fúnebre na Catedral Nacional em Washington, nos EUA — Foto: Andrew Harnik/pool/AFP

5) No Washington Post, MIchael Brice-Saddler e Steve Hendrix contam como o presidente americano George H.W. Bush, morto na semana passada, e sua mulher, Barbara, jamais se recuperaram da perda de sua única filha, Robin, aos três anos de idade.

6) No Guardian, James McAuley faz um relato sobre o crescimento dos crimes antissemitas na França e sobre a dificuldade das autoridades para lidar com seus autores, quando muçulmanos. Em conversa com o editor Ezra Klein, do Vox, o jornalista Peter Beinart discute o recrudescimento do antissemitismo nos Estados Unidos e critica o atual governo de Israel.

Enxadrista Garry Kasparov fala com a imprensa após ser absolvido depois de sua prisão em 2016, na Rússia — Foto: AP Enxadrista Garry Kasparov fala com a imprensa após ser absolvido depois de sua prisão em 2016, na Rússia — Foto: AP

Enxadrista Garry Kasparov fala com a imprensa após ser absolvido depois de sua prisão em 2016, na Rússia — Foto: AP

7) Em entrevista a Masha Gessen, na New Yorker, o enxadrista Garry Kasparov lamenta o declínio do liberalismo na Rússia, mas se revela um otimista sobre o futuro.

Estátuas na sede do Google, em Mountain View (Califórnia).  — Foto: Helton Simões Gomes/G1Estátuas na sede do Google, em Mountain View (Califórnia).  — Foto: Helton Simões Gomes/G1

Estátuas na sede do Google, em Mountain View (Califórnia). — Foto: Helton Simões Gomes/G1

8) Também na New Yorker, James Somers traça o perfil da amizade duradoura entre os dois programadores que garantiram a explosão do Google (atenção: não são Sergey Brin e Larry Page).

9) Ainda na New Yorker, Daniel Mendelsohn discute se a Eneida, de Virgílio, é uma celebração à guerra e ao imperialismo – ou uma crítica.

10) No Vox, Liv Boeree conta a história de uma das maiores descobertas da estatística, o Teorema de Bayes, e mostra como ele ajuda a entender o mundo.

Túmulo do estatístico Thomas Bayes no cemitério de Bunhill, em Londres — Foto: Cory Doctorow/Creative Commons 2.0Túmulo do estatístico Thomas Bayes no cemitério de Bunhill, em Londres — Foto: Cory Doctorow/Creative Commons 2.0

Túmulo do estatístico Thomas Bayes no cemitério de Bunhill, em Londres — Foto: Cory Doctorow/Creative Commons 2.0

11) Na New York Review of Books, Allan Hollinghurst resenha a série A very English scandal, dirigida por Stephen Frears, sobre o julgamento, em 1979, do parlamentar britânico Jeremy Thorpe, acusado de mandar matar um ex-amante que ameaçava denunciar o caso homossexual. Fazia 12 anos que a homossexualidade deixara de ser crime no país.

 — Foto: Arte/G1 — Foto: Arte/G1

— Foto: Arte/G1

Fonte

قالب وردپرس

Deixe uma resposta