Temendo manifestação, Carrefour Osasco fecha as portas neste sábado (08)



Reprodução | Facebook

O Carrefour Osasco, localizado na Av. dos Autonomistas, bairro Vila Yara, decidiu fechar as portas neste sábado (08), após ativistas confirmarem a realização de uma manifestação hoje às 15h em frente à unidade. O ato é motivado pelo assassinato da cadela Manchinha no local por um segurança do estabelecimento comercial.

Ativistas em defesa dos direitos animais de todo o país estarão realizando hoje e amanhã (09) protestos em repúdio à morte da cachorrinha e impunidade do assassino, que não será preso. O brutal assassinato de Manchinha gerou comoção nacional e ganhou a atenção de ONGs, artistas e políticos.

Confira a série de reportagens sobre o caso clicando aqui.
Entenda o caso
Uma cadela morreu, após ser brutalmente agredida no Carrefour de Osasco (SP), no dia 29 de novembro. Relatos de que um funcionário da empresa, da área de segurança, agrediu o animal foram confirmados por imagens de uma câmera de monitoramento. Há, também, a suspeita de que ele tenha sido envenenado. O acusado pelo crime prestou depoimento na última quinta-feira (6) e confessou a agressão.

Havia uma expectativa de que um laudo determinasse a causa da morte do animal. No entanto, o corpo do cachorro foi cremado, o que prejudicou as investigações. Segundo informações da Folha de S. Paulo, o responsável por cremar o cachorro foi o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do município, que alega ter tomado tal providência por não ter, no momento do resgate do animal, informações sobre os maus-tratos, mas apenas a versão de que o cão havia sido atropelado.

Relatórios sobre o atendimento do animal apontam sinais de envenenamento, segundo o delegado Bruno Lima, eleito deputado estadual pelo PSL, e que está acompanhando a investigação sobre o caso. Testemunhas relatam que o envenenamento, de fato, ocorreu e que foi dada mortadela com veneno para a cadela. O fato do animal ter apresentado vômito sustenta a suspeita. “Foi dada mortadela envenenada e ele vomitou essa mortadela que ele comeu”, disse o jurista Fernando Capez.

A causa da morte da cadela, segundo a veterinária que socorreu o animal, foi hemorragia. “O animal deu entrada consciente no departamento em decúbito lateral (deitado de lado), mucosas anêmicas, hipotensão severa (pressão baixa), hipotermia intensa, hematêmese (vômito com sangue) e escoriações múltiplas”, informa trecho de uma nota emitida pela prefeitura sobre o caso. “Apesar do tratamento instituído, o animal veio a óbito”, completa.

No boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Meio Ambiente, consta que o animal chegou “desfalecido e agonizando” à unidade da prefeitura, sendo “diagnosticado” com “hemorragia digestiva alta”. Ainda segundo o documento, “após manobras de reanimação”, a cadela “apresentou parada respiratória” e veio “a óbito” quase três horas após o resgate.

Fonte

قالب وردپرس

Deixe uma resposta