Toyota Corolla leva 5 estrelas em testes de colisão; novo Hyundai HB20 fica com 4

poucos minutos postado através do site: G1, do artigo “Toyota Corolla leva 5 estrelas em testes de colisão; novo Hyundai HB20 fica com 4”

De acordo com o que foi informado através do portal G1:
Após receber apenas uma estrela, o Renault Sandero passou por melhorias e, em um novo teste, conquistou 3 estrelas. Airbags do modelo feito no Brasil eram piores do que os fabricados na Colômbia. Toyota Corolla recebe 5 estrelas em ‘crash-test’
A nova geração do Toyota Corolla fabricada no Brasil conquistou a nota máxima nos testes de colisão do Latin NCap, segundo resultados divulgados nesta quarta-feira (11). O novo HB20 conquistou 4 estrelas, enquanto o Sandero ficou com 3.
O Renault passou por duas baterias de testes. Na primeira, tanto o hatch, quanto o aventureiro Stepway e o sedã Logan, receberam apenas uma estrela na proteção para adultos.
Principais resultados da nova bateria de testes:
Corolla ficou com 5 estrelas para adultos e crianças; entidade ressaltou que o carro não ficou com nenhuma nota abaixo do nível chamado de médio;
HB20 recebeu 4 estrelas para adultos e 3 estrelas para crianças; Latin NCap disse que “esperava mais do carro”, que acabou de ser renovado;
Sandero, Logan e Stepway ficaram com 3 estrelas (adultos) e 4 estrelas (crianças); o Latin NCap viu divergências dos carros feitos na Colômbia, contra os produzidos no Brasil e na Argentina. Entre elas, os airbags do modelo colombiano eram maiores e mais resistentes. Montadora diz que fornecedores são diferentes, mas que “tais diferenças não alteram os resultados de proteção aos ocupantes”.
Toyota Corolla
O resultado engloba todas as versões do Corolla comercializadas na América Latina e no Caribe, equipadas de série com 7 airbags e controle eletrônico de estabilidade. As 5 estrelas são para proteção de adultos e crianças.
Toyota Corolla híbrido: primeiras impressões
“O novo Corolla já oferece vários aspectos de segurança que o Latin NCAP introduzirá no novo protocolo de 2020, mostrando uma liderança clara”, disse Alejandro Furas, secretário geral do Latin NCap.
Toyota Corolla no Latin NCap
Divulgação/Latin NCap
Em nenhum dos testes o sedã apresentou nível de proteção menor do que “marginal”, ou médio, em alguma parte do corpo do dummy, o boneco de demonstração. A boa nota também para crianças é atribuída ao sistema de ancoragem Isofix para cadeirinhas infantis.
Toyota Corolla em teste do Latin NCap
Divulgação/Latin NCap
Hyundai HB20
No caso do HB20, as 4 estrelas são direcionadas para a proteção dos adultos. Para as crianças, a nota foi de 3 estrelas.
Novo Hyundai HB20 fica com 4 estrelas em teste de colisão
“O Latin NCAP esperava muito mais do HB20, especialmente considerando que seu concorrente direto, o Chevrolet New Onix, ganhou recentemente cinco estrelas”, apontou Alejandro Furas.
Hyundai HB20 turbo: primeiras impressões
A nota para adultos só não foi maior pois o modelo apenas atende aos requisitos, com 2 airbags dianteiros e controle de estabilidade opcional. Os airbags laterais (que somam 4 totais) só estão disponíveis como opcionais.
Hyundai HB20 no Latin NCap
Divulgação/Latin NCap
Na proteção para crianças, o hatch foi penalizado por uma movimentação excessiva do dummy que simula uma criança de 3 anos (segundo o Latin NCap, a Hyundai já está trabalhando neste assunto), pela sinalização da ancoragem Isofix (que não atende aos requisitos) e pela impossibilidade de se desligar o airbag do passageiro.
“É decepcionante que esse novo modelo não tenha proteção ESC nem proteção para a cabeça lateral como equipamento padrão. Desilude que o HB20 seja o único modelo apresentado pelo Latin NCAP nesta avaliação que não oferece proteção lateral para a cabeça como padrão”, apontou o órgão em comunicado.
Renault Sandero/Logan/Stepway
Renault Sandero e Logan ficam com 3 estrelas em teste de segurança
Os modelos conquistaram apenas uma estrela na proteção para ocupantes adultos e 4 para crianças. Logo após os testes, a Renault aprimorou a linha 2020 e, com novas provas realizadas pelo Latin NCap, chegou a 3 estrelas para adultos e 4 para crianças.
Renault Sandero CVT: primeiras impressões
As melhorias foram feitas na absorção de energia para a região dos quadris e na área de cobertura dos airbags. O Latin NCap encontrou divergências nas unidades produzidas na Colômbia, contra as produzidas no Brasil e na Argentina.
Segundo o órgão, “o airbag da versão produzida na Colômbia (volume de 22 litros e maior área de cobertura) oferece uma proteção mais robusta em comparação com os airbags das versões produzidas na Argentina e no Brasil (volume de 18 litros e área de cobertura mais restrita).”
Em resposta ao G1, a Renault disse que as diferenças acontecem função dos fornecedores locais de cada país. “Importante ressaltar que tais diferenças não alteram os resultados de proteção aos ocupantes, que são os mesmos independentemente da locação produtiva”, afirmou a montadora.
Além disso, também há diferenças na intrusão estrutural na proteção contra impactos laterais e na estrutura dos bancos dianteiros.
Renault Sandero no Latin NCap
Divulgação/Latin NCap
São considerados os 4 airbags de série (frontais e laterais) e o controle de estabilidade opcional. Pontos considerados críticos são a estrutura instável em impactos frontais, além da impossibilidade de se desligar o airbag do passageiro.
De acordo com o Latin NCap, a proteção do peito dos ocupantes melhorou nos impactos laterais com os reforços, mas ainda é fraca.
“O Latin NCAP aprova a reação da Renault em melhorar a segurança dos populares Sandero, Logan e Stepway”, disse Alejandro.
Veja comunicado da Renault sobre o caso:
“A Renault afirma que o modelo Sandero 2020 atende e sempre atendeu plenamente às normas de segurança vigente.
Quanto a avaliação feita pelo LatinNcap, afirmamos que a Renault tem compromisso com a qualidade de seus produtos e satisfação de seus clientes, motivo pelo qual está constantemente evoluindo os nossos produtos buscando oferecer um melhor desempenho.
Em relação às especificações técnicas entre o modelo produzido na Colômbia e no Brasil, as pequenas diferenças existentes são em função dos fornecedores locais de cada país, como é prática de vários fabricantes.
Importante ressaltar que tais diferenças não alteram os resultados de proteção aos ocupantes, que são os mesmos independentemente da locação produtiva.”

Continuaremos a seguir o canal e publicando notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *